Centro Universitário AGES Natal do NCF - Centro Universitário AGES
(75) 3279-3600/2210 faleconosco@uniages.edu.br
Era uma manhã quente de terça-feira. O momento era de ansiedade. Duas ou três crianças na porta da frente, esperando algum sinal de poeira na estrada.
- "Vem um carro ali!" 
- "Será que é ele?"
Quando o carro se aproximava, as duas ou três crianças transformavam-se em dezenas delas. Cada uma com um sorriso no rosto. Sorrisos de alegria, de ansiedade, de esperança. Quando descíamos do carro, ouvíamos as perguntas:
- "Cadê ele?"
- "Você já viu?"
- "Acho que ele não veio". - Gritava alguém lá de dentro da escola.
- "Ele deve chegar depois". - Disse a menina, já entrando pra sala de aula.
Mais do que os presentes, era o Papai Noel o "tão aguardado" do dia.
A Professora pede:
- "Vamos cada um pra sua sala que hoje todo mundo vai ganhar presente!"
Rapidamente, todos correm (mais pulando do que correndo) para dentro das salas.
Começamos a pegar as sacolas com os presentes - já nomeados - de cada criança. E entramos.
Muita energia naquele lugar! Elétrica eu não sei bem se tinha, mas eu "tô" falando de outra energia, sabe?
Começamos a tirar os brinquedos das sacolas, enquanto o "Papai NoEdson" colocava a sua roupa mágica.
Já estava tudo pronto. Entramos na sala. Todos devidamente sentados, alguns com as mãos entre as pernas, outros com as pernas balançando ansiosamente, mas todos com brilho no olhar.
- "Bom dia!"
- "Bom diaaaaaaaaaaaaaaaaaa!"
- "Alguém sabe quem veio visitar vocês hoje?"
- "Papai Noeeeeeeeeeeeeeeeel!"
- "E o que é que o Papai Noel traz?"
- "Presenteeeeeeee!"
De repente, o bom "velhinho" entra na sala:
- "Mas só pra quem se comportou direitinho!". - A gritaria toma conta do espaço e os olhares, todos agora voltados para o tão esperado convidado, estavam cada vez mais brilhantes".
Começamos a distribuir os presentes e... vocês não têm noção do que foi aquilo! O amor das pessoas que doaram os presentes estava em cada sorriso, o bem estava sendo espalhado através dos brinquedos (talvez os únicos que eles receberiam durante o ano) e os abraços que nós ganhávamos eram os mais puros e sinceros que já sentimos.
Ouvimos frases como:
- "Meu irmão não estuda aqui, mas posso levar um pra ele?"
- "O meu ônibus é vermelho igual ao seu. Vamos ver qual chega primeiro?"
- "Ei! Eu sempre quis uma dessa, sabia?"
- "Posso trocar meu carro por uma bola? É que eu gosto mais de bola pra jogar com meus amigos"
- "Pensei que vocês não vinham, chega tava triste já"

Foram, realmente, momentos mágicos. De gratidão. A Deus por poder estar ali e às pessoas que contribuíram para que aqueles momentos fossem concretos: vocês!

Queremos agradecer a todos que estão participando dessa campanha.
Recebam a energia e a paz que vimos naqueles olhares e naqueles sorrisos.
Que o natal de todos seja cheio de luz e amor!
Que Deus seja cada vez mais presente na vida de todos.
Pelos presentes. Pelo amor. Pela preocupação. Pelo afeto.

Se não fosse com vocês, nós seríamos menores.

Qual a palavrinha mágica? 
Obrigado! Pessoa com mãos dobradas